A Ceia do Senhor e a Páscoa

Texto base: 1Co 11:17-34

Gostaríamos de comentar um paralelo, existente entre a Ceia do Senhor e a Páscoa, e este assunto merece consideração para que possamos ter uma melhor concepção da profundidade que é a Ceia.

A páscoa, foi instituída por Deus, através de Moisés, (Êxodo cap 12), e também representa um "memorial", ou seja algo para ser lembrado, que não poderia ser esquecido.

O povo de Deus, estava oprimido, escravizado, no Egito e Deus retirou-os com sua mão forte, daquela servidão. Na noite que ocorreu o livramento, Deus havia ordenado, que cada família preparasse um cordeiro ou cabrito, este, deveria ser sem defeito, macho de um ano, que seria imolado, sacrificado no crepúsculo da tarde, o seu sangue aspergido em ambas as ombreiras, e na verga das portas, das casas que quisessem aceitar aquela ordenança.

Fato é, que todos que não participaram daquele cerimonial, tiveram seus primogênitos mortos naquela noite, pois, havia um pacto de sangue, entre Deus e os filhos de Israel, que consistia em aspergir o sangue, utilizar o mesmo, como sinal de proteção e confiança em Jeová.

A Ceia, para nós, também foi instituída pelo próprio Deus, através do ministério terreno de Jesus, consiste também num memorial, em forma de ordenança para a Igreja Neotestamentária, onde foi proposto um novo pacto de sangue. Este, que supera o pacto veterotestamentário, pois, foi o sangue de um homem justo, imaculado, para não dizer que era o Filho de Deus, o Verbo que se fez carne e habitou entre nós (João 1:14).

Por que dizer superior?

1º - Foi feito uma única vez, não precisando mais de sacrificar animais inocentes, para pagarem pelos pecados dos homens. (Hb 9:12-14,24)

2º - Foi feito voluntariamente, como ovelha muda, foi levado ao matadouro. (Is 53:7).

3º - Ele levou sobre si todos os nossos pecados, a fim de nos dar paz eterna. (Is 53:4-7).

Hoje, a Igreja não comemora mais a páscoa, pois a Ceia a substitui, por completo. Mas percebemos um paralelo real, pois, Jesus Cristo é o Cordeiro pascal, que foi sacrificado para proteger os primogênitos de Israel, através do sangue aspergido, porém devido ao seu sacrifício eterno, vicário, esta prática foi substituída pela Ceia que se compõe do vinho representando o sangue de Cristo e pelo pão representando seu corpo.

A Ceia, é servida a todos aqueles que tiveram uma experiência real com Jesus, que resultou no novo nascimento, nunca a criança ou descrentes, tem como objetivo a comunhão do corpo, em torno do cabeça da Igreja que é Jesus Cristo, desta forma ao participarmos da mesa, estamos anunciando a morte de Jesus, na cruz, e anunciando a sua vitória frente as potestades, pois, na sua morte selou o testamento, feito no seu sangue, e Deus, sempre que vê a Igreja celebrando a Ceia, se recorda desta aliança, e da aceitação do sacrifício de Jesus.

Um comentário:

  1. Olá, irmão.
    Esse assunto é deveras interessante, não só pelo tema da páscoa em si, e seu significado para os cristãos, como também pelo que o irmão coloca: o o novo pacto é infinitamente superior ao antigo, como nos ensina a carta aos Hebreus. E assim por exemplo, tudo que a velha lei representava caiu por terra, como a circuncisão, o sacerdócio levítico, o sacrifício de animais, as comidas puras e impuras, o dízimo, etc. Por isso na igreja não temos mais os levitas, não temos mais a obrigação de dar 10%, não temos mais intermediador entre nós e o Pai! GLória a Deus!
    Um abraço,
    Georges

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...