A Polêmica Coma A Bíblia de Estudo Dake 8/8

Conselho de Doutrina da CGADB Mantém Veto à Publicação da Bíblia de Estudo Dake

Durante algum tempo, temos falada aqui a respeito da “polêmica” com relação à Bíblia de Estudo Dake ( publicada pela CPAD). É sabido, como mostrado em posts anteriores, que a mesma contém erros doutrinários gravíssimos. Encerramos esta série de publicações com a mais recente resolução do Conselho de Doutrina da CGADB que, por unanimidade, manteve o veto à publicação pela CPAD da Bíblia Dake. Ao noticiar a referida resolução o Pr. Carlos Roberto Silva [1] se expressa da seguinte forma:

O Conselho de Doutrina e a Comissão de Apologética da CGADB, reuniram-se na última sexta-feira, 26.02.2010 na cidade de Campinas - SP, quando trataram sôbre a publicação da Bíblia de Estudos Dake pela CPAD[...].


Após a exposição dos representantes oficiais da editora, os membros do Conselho de Doutrina, bem como da Comissão de Apologética da CGADB, emitiram seus pareceres individualmente, seguido dos seus respectivos votos, abertos, transparentes e independentes. Ao final, da mesma maneira, os dois respectivos presidentes igualmente também o fizeram.

A totalização dos votos foi UNÂNIME pela MANUTENÇÃO DO VETO JÁ DECLARADO NA PRIMEIRA RESOLUÇÃO, sem qualquer ressalva, ou possibilidade de reverssão, considerando o caráter da função deliberativa do Conselho de Doutrina, prevista em Estatuto e Regimento da CGADB.
O resultado da reunião não determinou vencedores ou perdedores no episódio, mas a melhor saída para uma situação, onde todos, de alguma forma, sairam ganhando, a editora, a CGADB e a Denominação.

Pelo que temos visto e lido, este não é o fim da história. Porém neste momento cabe a nós esperarmos as próximas notícias com respeito a referida bíblia. E orarmos...

Fonte
[1] http://pointrhema.blogspot.com/

Crença e Verdade: O Pentecostalismo e a Pessoa do Espírito Santo

Por Francikley Vito

O Espírito Santo é, sem dúvida, uma dádiva de Deus concedida ao crente; por meio d’Ele temos a habitação do próprio Deus em nós. As manifestações do Espírito no seio da Igreja tem que ser não apenas experiênciadas, mas também provadas (I Jo 4.1); para que não caiamos no fanatismo. Esse erro é tão comum que, em muitos casos, acabou por virar regra, e não exceção. É disso que fala Mark D. McLean, quando argumenta:

“Uma das verdades ensinadas pelo Espírito santo é que não podemos recitar uma formula mágica do tipo: “Amarro Satanás; amarro minha mente; amarro minha carne”. Não nos é licito usar encantamentos para submeter Deus à nossa vontade. Significa que devemos permitir ao Espírito da Verdade orientar-nos na tarefa de interpretar a Palavra de Deus e a testar os nossos pensamentos [e ações] e os de outras pessoas. Há perigos genuínos neste assunto. A tarefa do leitor, com a ajuda do Espírito Santo, é seguir o exemplo dos bereanos [At 17.11]. Cada crente deve ler, testar e compreender a Palavra de Deus e os ensinos a respeito dela.”[1]

De outro modo: Nem todas as manifestações ditas do Espírito de Deus devem ser tomadas como tal. Daí a necessidade de um conhecimento das Escrituras para que saibamos se tais manifestações podem ser aceitas como divinas ou não. O pentecostalismo não é sinônimo de fanatismo, mas de crença baseada nas verdades das Escrituras Sagrada a respeito das manifestações do Espírito Santo de Deus.

Nota
[1]McLean, Mark D. O Espírito Santo (In: Horton, Stanley M. Teologia Sistemática: Uma Perspectiva Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, 1994, pp. 398, 399).

A Polêmica Coma A Bíblia de Estudo Dake 7/8

COMADESP (Convenção dos Ministros Evangélicos do Estado de São Paulo) Fala da Dake

No seu “Comunicado Contra a Publicação da Bíblia Dake” a COMADESP diz de maneira clara:

Considerando que o gerente de publicação da CPAD foi alertado pelos revisores de plantão que seria suicídio publicar, pela Casa Publicadora, a Bíblia de Estudo Dake, devido ao erro estrutural contido nos rodapés, alerta que foi desmerecido;Considerando que houve esforços do nosso representante no Conselho de Doutrina da CGADB, na busca de uma solução que não expusesse a editora, nem os conselhos, nem a denominação, ate agora sem sucesso;10. Considerando que a referida Bíblia continua a ser vendida sem que sejam avaliados os prejuízos espirituais que trarão ao povo de Deus, agora, e no futuro:


A Convenção dos Ministros das Assembléias de Deus no Estado de São Paulo e Outros DECIDIU, por unanimidade, tornar público sua reprovação à publicação da referida Bíblia, e enviar ofício além da CGADB, à todas as Convenções Regionais das Assembléias de Deus no Brasil, uma vez ser da competência do nosso órgão máximo zelar pela manutenção da doutrina, conforme determina as normas estatutárias, a saber:

A Convenção dos Ministros das Assembléias de Deus no Estado de São Paulo e Outros DECIDIU, por unanimidade, tornar público sua reprovação à publicação da referida Bíblia, e enviar ofício além da CGADB, à todas as Convenções Regionais das Assembléias de Deus no Brasil, uma vez ser da competência do nosso órgão máximo zelar pela manutenção da doutrina, conforme determina as normas estatutárias [...].


Fonte

http://www.comadespe.com.br/novo/Manifesto%20da%20COMADESPE%20contra%20a%20Dake_SITE.pdf

Conhecimento de Deus e Prática Cristã: Um Chamado à Maturidade

Por Francikley Vito

O conhecimento de Deus é o mais importante conhecimento que o ser humano pode ter, pois dele resulta todos os outros conhecimentos: o conhecimento da natureza, o conhecimento do mundo invisível, o conhecimento dos seres e de nós mesmos. Isso acontece porque se nós quisermos conhecer de maneira adequada o mundo que nos cerca, temos que conhecer primeiro o feitor deste mundo – o Deus da Bíblia.

Portanto o saber a respeito da Divindade é condição sem a qual não é possível viver adequadamente no mundo. Mas o conhecimento de Deus não pode ser apenas teórico, ele tem que afetar a nossa vida prática, o nosso dia a dia; se assim não for, corremos o risco de sermos apenas ouvintes e não praticantes das verdades das Escrituras. Estudamos teologia não só para saber o que a Bíblia diz a respeito de Deus, mas para sabermos como essas verdades podem mudar as nossas vidas em Deus. O teólogo americano Tony Evans diz isso com discernimento e propriedade: [1]

“Conhecer a Deus implica em mais do que percepção, informação e experiência religiosa. Conhecer a Deus e ser tocado por Ele. É relacionar-se de maneira que aquilo que Ele significa influencie o seu ser. Conhecer a Deus também significa mais do que ter uma experiência religiosa com Ele ou dizer que o sentimos. É valido ter uma experiência emocional e religiosa com Deus, mas conhecê-Lo envolve mais que isso”.

Ouçamos o clamor do profeta das lágrimas quando diz: “Assim diz o Senhor: Não se glorie o sábio na sua sabedoria, nem se glorie o forte na sua força, nem se glorie o rico na sua riqueza, mas o que se gloria glorie-se em me conhecer e saber que eu sou o Senhor” [2]

Notas
[1] Evans, Tony. Deus é Tremendo. São Paulo: Vida, 2000, p. 17.
[2] Jeremias 9 : 23-24

A Polêmica Coma A Bíblia de Estudo Dake 6/8

Pr. Antonio Gilberto Fala a Respeito da Dake

Depois de várias criticas recebida pela CPAD quanto ao seu silêncio a respeito do caso, um dos mais respeitado teólogos assembleianos no Brasil, o Pr. Antonio Gilberto, resolveu, em duas entrevista, concedidas a blogs diferentes comentar o caso e dar o seu parecer em relação à Bíblia de Estudo Dake.

Em entrevista dada ao Pr. Ciro Sanches Zibordi, o renomado teólogo disse:
“A Bíblia de Estudo Dake é um tesouro, especialmente para os pregadores. Mas eu faço algumas ressalvas. Há nela pontos de vista pessoais, de natureza filosófica” E completou: “O irmão que tiver essa Bíblia de estudo não precisa rasgá-la ou jogá-la fora; ela é muito útil” – o grifo é do autor [1]

Já em uma outra entrevista concedida ao blog “O Balido” do Pr Judson Canto, o Pr. Gilberto é mais contundente, diz ele:
“O Conselho da Casa se reuniu e bloqueou o assunto. Só posso me pronunciar em reuniões, como fiz aqui [na EBO de Curitiba]. Pedi ao pastor Wagner Gaby, vice-presidente da igreja: ‘Por estarmos numa escola bíblica, com gente de vários lugares, o irmão autoriza eu tomar no máximo uns cinco minutos para dar um alerta sobre uma onda de boatos sobre a Dake? Não é questão de consideração comigo. Há uma onda de rumores, de pessoas desqualificadas e desautorizadas dando palpites em blogs, na Internet’. Vendo que ele concordava, tomei os cinco minutos para dar uma rápida satisfação. Mas estou bloqueado pelo Conselho, até ele me liberar. Na primeira quinzena de março, o Conselho vai se reunir novamente (não por causa disso, é uma reunião regular), mas o assunto volta [...] Em 1969, eu era estudante na América. Antes de eu viajar para lá, o pastor Lawrence Olson, de saudosa memória, me disse: ‘Irmão Gilberto, quando chegar à América, logo que puder, compre uma Bíblia de estudo Dake, que foi lançada agora’. E não foi só ele [que a recomendou]. E, de fato, logo que pude, comprei uma, mas não pude nem sequer tocar, devido ao programa do meu curso. Mas logo que retornei ao Brasil, eu a peguei por cinco anos. Foram cinco anos de estudo metódico, sem aquele negócio de pega e deixa.”

Com respeito às polêmicas em torno do silêncio da CPAD disse:
“Numa reunião do Conselho, o diretor da Casa [irmão Ronaldo Rodrigues de Souza] fez uma pergunta para mim: ‘Pastor Antônio Gilberto, seja franco: o irmão, como consultor, seria favorável à publicação de um encarte com uma nota explicativa no Mensageiro da Paz?’. Minha resposta foi: ‘Não, não sou favorável’".[2]


Fonte
[1] http://cirozibordi.blogspot.com/2010/02/meu-parecer-final-sobre-biblia-de.html
[2] http://judsoncanto.wordpress.com/2010/02/12/biblia-dake-pastor-antonio-gilberto-fala-a-o-balido/

Cristologia e Prática Cristã: Resposta ao Cristo da Fé

Por Francikley Vito
Muito já foi dito no decorrer dos anos a respeito da pessoa de Jesus Cristo. O conhecimento daquilo que as Escrituras nos diz a respeito d’Ele exige de nós uma resposta. Resposta essa que só nós como indivíduo podemos dar. Aqui não há meio termos, ou cremos que Jesus era o Cristo, Filho do Deus vivo, como revelado nas profecias e nos Evangelhos; ou temos que rechaçá-lo como impostor e mentiroso.
Como disse o erudito e escritor cristão C. S. Lewis (1898-1963), citado por Josh McDowell, [1]

“Quero aqui evitar que alguém expresse esta grande insensatez que certas pessoas tantas vezes repetem a respeito de Jesus: ‘Estou pronto a aceitar Jesus como um grande mestre moralista, mas não aceito a sua alegação de que era Deus.’ Ai está uma coisa que não podemos dizer. Um homem que fosse apenas um homem, e disse as coisas que Jesus disse, não poderia ser um grande mestre moralista. Ou era um louco [...] ou então era um demônio do inferno. Cada um tem que fazer sua escolha. Ou este homem era, e é o Filho de Deus, ou então era um louco, ou coisa pior.[...] Você pode silenciá-lo, julgando-o tolo; pode cuspir nele e matá-lo, julgando-o um demônio; ou então, cair aos seus pés o chamando Senhor e Deus. Mas não me venha com tolices condescendentes, afirmando ser ele um grande mestre humanista. Ele não nos deixou esta alternativa. Não era sua intenção fazê-lo”.

Não há escolhas, o conhecimento a respeito de Jesus exige de nós uma posição de fé em relação a Ele. O Senhor Jesus ao morrer no calvário, nos facultou duas alternativas: ou cremos que Ele era o que dizia ser ou não. A cristologia tem que nos levar ao conhecimento, mas a fé nos leva a uma resposta que esteja de acordo com a verdade conhecida. Neste sentido temos que admitir Cristo como Senhor de todos e de tudo. Inclusive de nós mesmos.

Nota
[1] MacDowell, Josh. Mais Que um Carpinteiro. Vendas Novas/MG: Betânia, 1989, p. 26-27.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...