Um Apelo Pela Educação Cristã

Por Gustavo Corção

A vida cristã consistindo essencialmente na graça santificante e no conjunto de dons sobrenaturais que a acompanham - virtudes teologais, dons do Espírito Santo e caráter batismal - é dádiva gratuita do Pai àquele que escolheu para configurar ao seu Filho Unigênito, e exige, para o pleno desenvolvimento, correspondência por parte do homem, isto é, que seja recebida inteligente e livremente. Se assim não o fosse, os atos salvíficos não seriam atos humanos, pois estariam destituídos de valor pessoal, sem a resposta conveniente do homem a Deus, sem consciência e sem responsabili- dade. A salvação de cada pessoa realiza-se pela escolha de Deus e pela recepção dócil, mas livre, do dom do amor. Deus nos salva respeitando a nossa natureza.

O homem a Ele responde como homem. Para que haja o pleno desenvolvimento da vida cristã, para que ela seja realmente humana, há necessidade de que as verdades da fé e os princípios da moral divina sejam conhecidos e cada vez mais aprofundados pelo cristão.

O esclarecimento devido da fé e a transfiguração da vida natural são realizados pela educação cristã. Esta supõe a educação simplesmente humana que desenvolve as virtualidades naturais da pessoa, mas diferencia-se dela pela origem, pelos métodos e pela finalidade. Se o termo educação é aplicado à educação exclusivamente humana e à educação cristã, tal aplicação tem um sentido analógico. A não consideração dessa analogia dos termos e dos conceitos a eles correspondentes, univocando-os, além de levar as inteligências a confusões que as cegam, tem consequências práticas muito prejudiciais para a vida cristã.
Mas, acima de tudo, devem os pais aprofundar os seus conhecimentos religiosos para poderem, na medida do possível, transmiti-los aos filhos. Diante da irresponsabilidade dos que deveriam ser os mestres da vida cristã, cresce imensamente a responsabilidade dos pais.
Poderão estar certos de que o auxílio de Deus não lhes faltará para tal mister. A graça de estado não lhes será tirada, já que possuem o sagrado vínculo do matrimônio, título legítimo e eficaz para recorrerem ao Pai e humildemente pedirem a Ele a proteção para os seus filhos abandonados ou pervertidos por aqueles que deveriam ampará-los na fé e salvar-lhes a alma.

Fonte
http://literatura.uol.com.br/literatura/figuras-linguagem/30/artigo178245-2.asp http://literatura.uol.com.br/literatura/figuras-linguagem/30/artigo178245-3.asp

2 comentários:

  1. A graça e paz do SENHOR JESUS, amigo Francikley...

    Como é bom achar na net mais um blog edificante que publica a palavara de DEUS! Parabéns pelo blog e estou seguindo. Se quiser seguir o meu, fique à vontade. Afinal de contas temos o mesmo propósito, a palavra de DEUS.

    Que o SENHOR continue lhe abençoando.
    www.oguardadeisrael.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Aldo, a Paz do Senhor. É uma alegria tê-lo como nosso leitor. Que o nosso Deus continue abençoando a sua vida. Um abraço.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...