A Arqueologia Não Prova a Bíblia!

Por Francikley Vito

Enquanto pesquisava mais atentamente sobre a área de Arqueologia, e mui principalmente a arqueologia bíblica, como é chamada; fui surpreendido com uma declaração que dizia que a arqueologia não prova a Bíblia, ou não confirma a Bíblia. Caso eu tivesse ouvido essa afirmativa de qualquer outra pessoa teria certamente duvidado, mas as palavras vieram de uma das maiores autoridades em arqueologia do nosso país, o professor Rodrigo Pereira Silva [1]. Depois do choque inicial, decidi olhar com mais cuidado a questão.

Uma das definições mais simples e claras sobre Arqueologia pode ser encontrada no dicionário Aurélio (2005) ao dizer que Arqueologia é “o estudo científico do passado da humanidade mediante os testemunhos materiais que delas subsistem”(grifo meu). Ora, se o material, como diz o dicionário, é o testemunho principal das pesquisas arqueológicas, é de se imaginar que ele não serve como base para provar ou confirmar as verdades da fé; há na Bíblia verdades e princípios que para serem cridos exige-se fé, e fé é certeza e prova que habitam na imaterialidade (Hb 11.1). Assim, a fé é o melhor óculo para se ler as narrativas bíblicas. Falando a respeito do mesmo tema, o professor de assiriologia em Londres D. J. Wiseman assevera: “Visto que a arqueologia, ramo da história, trata primeiramente dos materiais, nunca poderá testar tão grandes verdades bíblicas como a existência e atividade redentora de Deus e de Cristo, a Palavra em forma de carne”[2]. Além do mais, colocar a arqueologia como confirmadora das Escrituras seria colocar esta sobre a autoridade daquela; e isso é um erro flagrante para todo aquele que crê na doutrina da inspiração plena. Se é assim, qual então seria o trabalho da arqueologia bíblica em relação à Palavra de Deus? Ainda tomando por base os pensamentos de Silva e Wiseman, dentre outros [3], podemos dizer que o auxilio que a arqueologia presta aos que estudam a Bíblia se dá em, pelo menos, duas áreas de atuação.

A arqueologia me ajuda a confirmar a história que a Bíblia apresenta. Por muitos anos as histórias contadas pelo Livro Sagrado foram tidas como narrativas ficcionais, ou seja, mitos, no sentido mais pejorativo do termo [4]. Posições desta natureza foram mudando a partir do momento que novas descobertas vieram a público. Um exemplo disso pode ser visto quando, em 1947, um pastor encontrou em cavernas na região de Kirbet Qumran alguns vasos que continham manuscritos em pergaminhos e papiros com cópias de textos bíblicos datados de até o século terceiro a.C. Tais descobertas foram consideradas o acontecimento arqueológico mais importante do nosso tempo; esses achados ficaram conhecidos como “Os Manuscritos do Mar Morto” e oferecem abundante material para pesquisa no Antigo Testamento, comprovando que o Texto Sagrado foi mantido praticamente inalterado com o passar dos anos. Deus protegeu Sua narrativa.

A arqueologia me ajuda a compreender algumas passagens obscuras. Uma das passagens que causa mais inquietação entre arqueólogos é a narrativa da jornada do povo de Israel pelo deserto, registrada no livro do Êxodo. Parte dessa narrativa, no capítulo 15, conta como o povo de Deus, ao passar pelo Mar Vermelho, caminharam três dias sem encontrar água; e como Deus transformou água salgada em água doce quando o povo escolhido chegou a Mara (Ex 15.22). Esse relato era crido tão somente pela fé; até que em 1988 Bob Cornuke e seu amigo Larry Williams “encontraram fontes antigas que continham águas muito amargas que não podiam ser bebidas.”[5] Provando assim a narrativa outrora tida como ficção mitológica. Nas palavras do Dr. Rodrigo Silva, “a arqueologia nos ajuda a ler a Bíblia em 3D”. Isto é, ela aumenta a nossa visão com relação à verdade de Deus, A Bíblia.

Longe de qualquer pretensão, essas são apenas notas que gostaria de compartilhar com os leitores desse blog para que, ao lê-las, eles se inspirem a procura com afinco ferramentas que sirvam para edificar as paredes da sua fé, pois tal trabalho depende de cada um de nós como leitores e dependentes da Palavra revelada do Deus da história.


Notas: [1] http://www.youtube.com/watch?v=i0VDj0gMZQ0; [2] In: O Novo Dicionário da Bíblia, 1962, p.117; [3] ex.: Price, Pedras Que Clamam, 2001, p. 297; [4] Dicionário de Teologia, 2000; [5] http://www.arqueologiadabiblia.com/2010/02/as-provas-do-exodo.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...